Aperfeiçoamento de Imagem em Obstetrícia

12/10/2009 às 02:46 | Publicado em Cursos ICS | Deixe um comentário
Tags: , ,

CB00650714190015Hoje, a utilização do ultra-som permite que se faça a detecção pré-natal das anomalias congênitas, logo nos três primeiros meses de gravidez  – entre a 11ª e 14ª semana. Por meio deste recurso, realiza-se o diagnós­tico precoce ou o rastreamento cromossômico, possibilitando a identificação das condições do bebê e se há malformações genéticas.  “O exame tem papel importante também em casos de gravidez múltipla, como a trigemelar, em que há uma alta incidência de nascimentos prematuros. Aqui, torna-se necessário monitorar o tamanho do colo uterino e associá-lo com o desenvolvimento da gestação. Em 70% dos casos, o parto dos trigêmeos ocorrerá antes de 32 semanas de gestação. Desta forma, o acompanhamento médico especializado é fundamental para reduzir esse índice e prolongar o período gestacional”, explica o obstetra Guilherme Loureiro Fernandes, professor do Curso Avançado de  Imagem em Obstetrícia. Em outras situações, a exemplo daquelas em que o feto apresenta doenças hemolíticas, como a anemia, e geralmente torna-se necessária a transfusão sanguínea fetal intra-uterina, o diagnóstico de um especialista associado ao uso do ultra-som pode ser capaz de adiar ao máximo este procedimento invasivo ou, até mesmo, evitar que ele seja feito, graças a uma avaliação seriada do fluxo sanguíneo fetal. “Com o avanço dos estudos científicos e dos recursos tecnológicos disponíveis e alcançados nos últimos anos, é possível acompanhar e avaliar permanentemente o bem estar e a vitalidade do feto. O ultra-som de alta definição é uma ferramenta importantíssima nesse processo, porque possibilita a avaliação fetal completa, a análise global – mãe e feto – e a definição de tratamentos a serem implementados. Com tantos avanços disponíveis  é preciso capacitar os médicos a utilizarem adequadamente estes instrumentos diagnósticos, lembrando sempre que o exercício da medicina moderna é baseado na tecnologia, mas continua calcado na relação humana, na comunicação adequada, no vínculo afetivo e no respeito pelo paciente”, destaca o professor do ICS.

Anúncios

Deixe um comentário »

RSS feed for comments on this post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.
Entries e comentários feeds.

%d blogueiros gostam disto: